Mel

Mel em Vidro 450gO mel é um adoçante natural de grande valor energético, composto de açúcares, água, sais minerais, enzimas e pequenas quantidades de vitaminas.

É o alimento produzido pelas abelhas principalmente a partir do néctar das flores ou, em alguns casos específicos, de outras secreções das plantas ou de insetos sugadores de seiva. As abelhas coletam esses materiais e os transformam em mel. Nessa transformação, elas adicionam substâncias (enzimas) que elas mesmas produzem ao mesmo tempo em que retiram o excesso de água. O alimento é depositado nos alvéolos, onde o processo de retirada da água (desidratação) continua até que o mel esteja “maduro”, ou seja, pronto para o consumo. Nesse ponto, as abelhas fecham os alvéolos com uma fina camada de cera (opérculo) para que o produto fique armazenado até que seja usado como alimento.  A cor, o sabor, o aroma e a consistência do mel variam de acordo com as floradas e com o clima, entre outros fatores.

Além de sua qualidade como alimento, são atribuídas várias propriedades medicinais ao mel. Apesar do homem fazer uso desse produto para fins terapêuticos desde tempos remotos, sua utilização como um alimento ímpar, de características especiais, deveria ser o principal atrativo para o seu consumo.

Infelizmente, a população brasileira, de maneira geral, não o encara dessa forma, considerando-o mais como um medicamento do que com alimento, passando a consumi-lo apenas nas épocas frias do ano, quando ocorre aumento de casos patológicos relacionados aos problemas respiratórios. No Brasil seu consumo como alimento ainda é muito baixo (aproximadamente 130/g/habitante ano), principalmente ao se comparar com países como os Estados Unidos (1 kg/ano)  e os da Comunidade Européia, que pode chegar até  5 kg/ano por habitante, como é o caso da Alemanha.

Cristalização do Mel – Por se tratar de uma solução saturada de açucares, o mel tende a cristalizar-se de forma espontânea, adquirindo uma consistência sólida, esse efeito nada mais é do que a condensação, a aglutinação, das partículas de glicose. A cristalização do mel é uma garantia da sua qualidade e de sua pureza, quando cristalizado ele mantém todas as suas propriedades nutricionais e energéticas, além de manter o aroma e sabor. Geralmente, os méis puros acabam por cristalizar com o passar do tempo, se um mel não cristaliza é possível que tenha sido submetido ao aquecimento durante o processo de extração, ou, talvez, antes do envasilhamento. A temperatura habitualmente praticada em tais processos (acima dos 40º C) destrói as inibinas do mel, que são substâncias termolábeis e fotolábeis  destruídas com o calor e com a luz, que conferem capacidade bactericida ao mel. Os cristais do mel retornam ao estado liquido quando colocados em banho-maria a uma temperatura de 40º C, o que não ocorre com mel fraudado por conter, em sua maioria, açúcar de cana.

Propriedades Terapêuticas - Dentre as inúmeras propriedades medicinais atribuídas ao mel pela medicina popular e que vêm sendo comprovadas por inúmeros trabalhos científicos, sua atividade antimicrobiana talvez seja seu efeito medicinal mais ativo (Sato et. al., 2000).  Propriedades antissépticas e antibacterianas também são atribuídas ao mel, fazendo com que ele seja utilizado como coadjuvante na área terapêutica em diversos tratamentos profiláticos (Stonoga & Freitas, 1991).  Também já foi amplamente confirmada por diversos trabalhos científicos sua ação fungicida, cicatrizante e promotora da epitelização das extremidades de feridas. Popularmente, ao mel ainda se atribuem outras propriedades
como antianêmica, emoliente, antiputrefante, digestiva, laxativa e diurética (Veríssimo, 1987).

Sugestão de Consumo - Adultos - A recomendação de especialistas é o uso de uma colher de sopa ao dia, e também como substituto do açúcar em chás, frutas, vitaminas, e outros, já as crianças acima de 1 ano, 1 colher de chá ao dia. Observando regularmente esse procedimento você estará usufruindo todos os benefícios do mel como alimento e remédio natural.